O Gato viu: Star Wars: Episódio VIII – Os Últimos Jedi

Dezembro já se tornou o mês de Star Wars. Com os diversos projetos que a Disney tem para a saga creio que essa tradição irá se manter por muitos anos.

Recentemente fui assistir a Star Wars: Episódio VIII – Os Últimos Jedi. As expectativas estavam grandes para este filme, uma vez que O Despertar da Força foi um sucesso e Rogue One, uma grata surpresa. O medo em torno do longa girava a partir da expectativa dele ser uma versão nova do Episódio V – O Império Contra-Ataca, clássico considerado por muitos como o melhor filme da franquia.

Mas se há algo que Star Wars sabe fazer, é ser atual, mesmo que isso signifique, até mesmo, desmistificar a lenda. Na trama, Rey encontra Luke Skywalker vivendo solitário exilado em uma ilha isolada.  A jovem, que mostra fortes sinais da Força, deseja que o Jedi a treine e ensine a ela formas de derrotar Kylo Ren e a Primeira Ordem, salvando assim a galáxia e seus amigos da Rebelião.

Luke não quer fazer parte disso, ele se recusa a treinar um novo Jedi devido ao passado, quando fracassou com seu sobrinho que foi para o lado negro. Enquanto isso, Kylo Ren e o General Hux lideram a Primeira Ordem para um ataque total contra a General Leia Organa e a Resistência pela supremacia da galáxia.

Com Rey longe, caberá a Finn, Poe, BB-8 e os outros rebeldes a luta pela liberdade. Mas será que apenas a força de vontade deles será forte o suficiente para deter o avanço do lado negro?

Neste segundo filme senti muito mais história e um espaço mais dividido na trama entre todos os personagens. Rey está com Luke na ilha, mas o filme não é só sobre eles, é sobre todos aqueles que lutam contra o avanço do mal. Novos personagens surgiram e vi que eles não foram muito bem recebidos por alguns espectadores. Lembrem-se, Star Wars é mais do que batalhas com sabres de luz, é sobre pessoas lutando por liberdade.

Nossos personagens principais passam por conflitos e são esses novos rostos que estão por perto quando isso ocorre. Eles não são desnecessários, basta vocês olharem para o arco do Finn neste novo filme. A guerra está presente em todo lugar da galáxia, mesmo quando não enxergamos seus embates diretamente.

Vemos um Luke Skywalker diferente de todos os que já vimos antes e isso deu mais profundidade ao personagem. Os Jedi sempre exilam quando algo dá errado, vimos isso com Obi-Wan Kenobi e com o Mestre Yoda. Luke seguiu o caminho deles, mas sua dor era diferente. Ele sentia que tinha falhado com a galáxia, Leia, Han, Ben e com ele mesmo. Daí talvez a sua maior magoa. Rey o encontrará neste estado de isolamento e ele não quer ser perturbado por nada que ela venha lhe dizer. Pessoas são cinzas, elas não são totalmente bondade ou maldade, elas são sensíveis a tudo isso. Até mesmo o nosso símbolo do bem, o jedi Luke Skywalker, deixa o manto de lenda mítica diante dos nossos olhos.

Gostei muito de ver mais personagens femininas neste novo capitulo da saga. A atriz Carrie Fisher não está mais entre nós para viver a Princesa/General Leia Organa, mas dela surgiu a inspiração para milhares de meninas nesta e em outra galaxia muito distante. A Força está presente em tudo e em todos. É isto que Star Wars: Episódio VIII – Os Últimos Jedi trouxe como ensinamento. Todos nós temos uma fagulha dela, resta saber o que faremos quando a colocarmos em ação.

Que venha mais Star Wars!

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

Wishlist – Agosto 2016

Quando eu fiz a pesquisa de público daqui do blog e perguntei o que vocês queriam ver por aqui a segunda opção mais votada foi a Wishlist.Confesso que fiquei bem surpresa, mas lembrei que é legal ver o que as outras pessoas estão desejando e descobrir as novidades também. Então, agora todo inicio de mês vai rolar uma listinha de desejos aqui no GatoQueFlutua!

Vamos lá!Wishlist - Agosto 2016 - GatoQueFlutua

  1. Melissa Flox Unissex – Melissa é algo bem louco, né? Ou você ama ou você odeia. Eu tenho uma Melissa nude e de saltinho, perfeita para o trabalho. Ultimamente estou vendo todo mundo usando esse modelo de sandália e acho que é uma ótima alternativa para usar nesse calor daqui de Belém.
  2. Boneco Star Wars 6 Value Episódio VII Lead Villain – Hasbro – Toda vez que eu vou na Americanas eu fico namorando esse boneco do Kylo Ren, ele é pequeno e ficaria lindo na minha estante. O Kylo Ren pode ser o vilão, mas ele é o meu personagem mais amado de Star Wars: VII – O Despertar da Força.
  3. Chapéu modelo Fedora – Só agora descobri como que se chama esse modelo de chapéu que desejo faz tempo. Aqui em Belém faz muito sol, mas as pessoas ainda te olham torto se você usa algo na cabeça que não seja um boné, vai entender… Esse modelo ai é da Renner, mas já está esgotado. 🙁
  4. Batom Mac Pure Heroine – Esse batom em parceria com a cantora Lorde é edição limitada, mas ainda dá de achar por ai pra vender, só que o preço da Mac no Brasil não colabora muito…
  5. Livro Misery, do Stephen King – Eu amo a adaptação desse livro para o cinema e depois de ouvir o Pseudomático falar sobre ele no evento do SOODA fiquei com mais vontade ainda de ler a obra original.

E ai? Curtiram esse novo formato de post?

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

O Gato viu: Star Wars VII – O Despertar da Força

Esse post é sem spoilers, fica tranquilo. 🙂

Finalmente o sétimo filme da franquia Star Wars estreou! E que estreia!

J. J. Abrams, o diretor, está de parabéns. Entendeu o que significa Star Wars e respeitou a história.

Na trama, décadas se passaram desde a queda de Darth Vader e do Império. Mas como a galáxia é bem grande, sua mensagem não se perdeu. Surgiu, então, uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que deseja destruir a República.

Star Wars VII - O Despertar da Força - filme - resenha - gatoqueflutua (3)

Perceberam como a história se inverteu? Desta vez é o lado negro que está tentando se firmar, diferente da trilogia clássica em que ele já estava estabelecido.

Luke Skywalker (Mark Hamill) está misteriosamente desaparecido. A Força e os Jedis parecem mais lendas do que realidade.

Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos melhores pilotos da Resistência foi enviado ao planeta desértico Jakku para descobrir o paradeiro de Luke, mas essa não será uma tarefa fácil. Finn (John Boyega) é um stormtrooper que está em conflito com o que sente e acredita. Já Rey (Daisy Ridley) é uma moça que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Esse trio se encontrará, mas não antes que a Primeira Ordem chegue em seu encalço.

Star Wars VII - O Despertar da Força - filme - resenha - gatoqueflutua (4)

Além da volta dos atores antigos, o que garante credibilidade e linearidade a história, nós somos apresentados aos novos personagens como o trio já falado e o novo vilão Kylo Ren (Adam Driver) e o General Hux (Domhnall Gleeson). Kylo Ren promete uma boa evolução como vilão.

As cenas de voo, bem como as de luta são incrivelmente bem feitas. Efeitos especiais na medida certa e sem exagero.

Star Wars VII - O Despertar da Força - filme - resenha - gatoqueflutua (2)

Cheio de referências aos filmes da trilogia clássica, Star Wars VII – O Despertar da Força é bem escrito e não força a barra. Vemos claramente a “jornada do herói” e nada do que acontece na trama é gratuito, tudo é feito para ver-mos a evolução da saga.

Quando vi os trailers pensei que o Finn seria aquele cara chorão e dramático, mas quebrei a cara. Rey é a personagem feminina que precisávamos, quero muito ver do que ela será capaz.

Star Wars VII - O Despertar da Força - filme - resenha - gatoqueflutua - gif

Star Wars fala sobre poder, liberdade, politica e amizade. É bom ver que o episódio VII não se esqueceu disso.

PS: O BB-8 é a coisa mais fofa do universo, preciso de um brinquedo dele! 

Vale muito, muito, muito a pena conferir!