Ao menor sinal, caia fora!

Esse post é para qualquer um. Para moças e rapazes que se encontram nesse dilema.

A história é a mesma: rapaz está de coração partido e você é a “ombro amiga” dele.

Você pensa:

Queria que alguém me amasse assim…

…como ele…

queria que ele me amasse…

assim.

Para! Caia fora! Falo por experiência de vida. Ex-namorado, ex-ficante, um amigo, um colega da escola… Já passei por isso e você também já deve ter passado. Você só quer ajudar, mas depois se vê envolvida em um problema que não é seu.

Às vezes já temos um sentimento anterior pela pessoa e acabamos achando que aquele é o momento para a aproximação efetiva. Mas como uma relação pode dar certo se ele te vê só como uma boa ouvinte para os problemas daquela fase difícil?

star-wars-luke-leia-kiss

Se você quer só ajudar, tudo bem, mas não espere ou tente mais que isso. Eu sei que você deve ser melhor partido, afinal ele e ela terminaram e voltaram várias vezes, ela vive decepcionando o rapaz, ele sempre chora por ela pois não consegue deixar de amar aquela criatura. Mas não entre em uma história da qual você claramente não faz parte do par romântico. Vá viver outras aventuras!

Se vocês ficaram, você pode achar que está tudo lindo, mas não é bem assim. Não estou defendendo o cara (ou a garota), só estou dizendo pra não jogar suas expectativas em cima da pessoa. Deixe a bad passar.

Você será um charminho, um ciúmes, uma distração, um acalanto para o coração partido. Mas com certeza não será a cura. A cura é só o tempo, a reflexão e a aprendizagem que eles proporcionam.

Todos sabemos disso.

Deixe a pessoa passar por essa fase. Depois disso pode tentar algo, pois ai será uma escolha mais sábia e clara, Padawan.

yoda e luke dagobah

 

OBS: Esse post é beeem diferente de tudo que eu costumo postar aqui, não é? Mas tenho refletido comigo mesma que esse é um espaço pessoal, de trocas de experiências e posts mais despretensiosos. Espero que tenham gostado, pois vem mais por ai! 🙂

2 comentários Adicione o seu
    1. Hahaha, as imagens são pra descontrair mesmo. 😛
      É verdade, cada caso é um caso. Esse post surgiu de uma conversa no Twitter em que percebi que essa realidade é a de muita gente.

      Cada um sabe o que faz, mas é bom poder conversar sobre isso, né? 🙂

      Beijão!

Comente!