O Gato leu: O Mundo do Homem-Aranha

O Mundo do Homem-Aranha – Daniel Wallace
Editora: Pixel Media
Ano: 2017
Páginas: 64
Compre: Amazon

A Pixel Media está fazendo um trabalho incrível lançando esses livros ilustrados que contam a trajetória dos heróis. Muita gente vai ao cinema e se encanta por aqueles personagens que só conhecia de nome, da publicidade ou de algum contato rápido na infância.

Quem são eles afinal? Para estes novos fãs os livros da série “O Mundo de…” são um presente! A história é contada pela perspectiva do protagonista e compartilhada com o leitor em formato de conversa, que pode ser inspiradora, como em O Mundo da Mulher-Maravilha ou engraçada, como em O Mundo do Homem-Aranha.

No livro, o Homem-Aranha conta todos os segredos sobre como consegue (ou melhor, tenta) equilibrar sua vida dupla e manter o senso de humor, que é sua marca registrada, mesmo quando está metido com o Doutor Octopus ou o Duende Verde.

Aprendemos com ele a escolher bem o uniforme, como funcionam os lançadores de teia e até como fazer tiradas rápidas contra vilões inescrupulosos. Ainda há também a questão da identidade secreta, o cotidiano profissional e os malabarismos na vida amorosa. O Aranha compartilha tudo com vocês, dando aos aspirantes a super-heróis todos os conselhos que vão precisar para começar nessa profissão.

O Gato leu: O Mundo do Homem-AranhaO Gato leu: O Mundo do Homem-Aranha
O Gato leu: O Mundo do Homem-Aranha

Este livro é muito engraçado e apresenta, além do protagonista, uma gama de personagens de seu circulo, desde a Tia May, que o criou, até os Vingadores, passando por vilões e colegas de trabalho, incluindo um chefe nada amigável.

Meio manual, meio almanaque, meio enciclopédia, O Mundo do Homem-Aranha é uma agradável leitura e excelente dica de presente para este Natal!

Fiquem ligados porque o próximo lançamento heroico da editora é, nada mais, nada menos que O Mundo do Batman!

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

O Gato leu: O Espetacular Homem-Aranha – A Última Caçada de Kraven

O Espetacular Homem-Aranha – A Última Caçada de Kraven – J. M. DeMatteis, Mike Zeck e Bob Mcleod
Editora: Salvat
Ano: 2013
Páginas: 168

O que eu posso falar sobre essa história? Posso dizer que o Kraven seja doido de pedra e isso é uma verdade. Também que ele é o tipo de vilão que talvez não combine mais com os personagens hoje em dia, sei lá, não sei, é só um devaneio meu…

O Espetacular Homem-Aranha - A Última Caçada de Kraven_GatoQueFlutua_blog_Foto_Debb_Cabral

Aos fãs de Kraven, não se sintam ofendidos. Não estou denegrindo o personagem, estou apenas refletindo sobre a trajetória do Aranha e, mais especificamente, sobre essa graphic novel. É engraçado que a trama é do Kraven, mas foi o Rattus despertou muito mais a minha atenção.

Kraven é muito diferente de todos os outros vilões que já vi, ele encontrou civilização na selva e quer derrotar o Aranha só para provar que é melhor que ele. Não há dominação mundial e nem um grande perigo à raça humana, a ambição de Kraven se restringe ao herói. Isso é bem diferente para mim.

Na trama, Kraven, o Caçador, sabe que a morte está chegando. Ele é um homem e tem consciência de que a cada dia que se passa, sua força vital diminui. Como um desafio final, ele promete capturar a presa que sempre escapou das suas garras: o Homem-Aranha.

Porém, derrotar o escalador de paredes não tem o mesmo impacto do que provar que ele pode ser uma Aranha melhor. Kraven precisa se transformar no próprio Aranha em espírito e façanha, isso será a sua verdadeira vitória. Para chegar à esse objetivo, Kraven ainda vai usar, a seu favor, Rattus, um mendigo que foi submetido a vários experimentos genéticos nas mãos do Barão Zemo, inimigo do Capitão América. Rattus é letal, mas ele é vilão e também vitima.

O Espetacular Homem-Aranha - A Última Caçada de Kraven_GatoQueFlutua_blog_Foto_Debb_Cabral O Espetacular Homem-Aranha - A Última Caçada de Kraven_GatoQueFlutua_blog_Foto_Debb_Cabral 2

A Última Caçada de Kraven é uma historia em que todos os personagens tem que superar seus limites e temores. O encadernado reúne as edições 31-32 de Web of Spider-Man, 293-294 de Amazing Spider-Man e 131-132 de Spectacular Spider-Man. Eu gosto muito dessas edições da Salvat, mas me incomoda muito a falta de numeração nas paginas, fica a dica para os próximos lançamentos.

 Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

O Gato viu: Capitão América 3 – Guerra Civil

Eu não sei bem o que dizer de Capitão América 3 – Guerra Civil. Quem já acompanha o blog a mais tempo sabe que eu li a graphic novel homônima e estava com as expectativas bem baixas para o filme.

captain-america-civil-war-international-banner-by_cveg

O filme não tem quase nada do quadrinho, então decidi encarar como uma obra solta e não como uma adaptação. Isso é o melhor a se fazer, levando em conta que na história original estão presentes personagens como os X-Men e o Quarteto Fantástico, fora outros super-heróis “avulsos” de grande importância que não estão no filme. Já foi um parto conseguirem trazer o Homem-Aranha, imagina os X-Men?

Ponderado tudo isso, o que eu tenho a dizer sobre o filme?

Eu gostei muito, muito mesmo. Capitão América 3 – Guerra Civil é bom, inclusive superior a Vingadores 2 – Era de Ultron.

A trama foi reformulada mas segue a base das “consequências dos atos dos super-heróis” como os trailers que saíram já mostravam. No filme vemos Steve Rogers (Chris Evans) liderando o recém-formado time de Vingadores com Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle) em suas novas missões, tal como deu a entender no final de Vingadores 2. Porém, um novo incidente envolvendo os Vingadores resulta num dano colateral, diante de tantas situações que estão fugindo do controle, a pressão política se levanta.

Os Vingadores são uma instituição privada que não respondem a ninguém e agem em qualquer país sem se importar com a soberania nacional. Os governos e a ONU querem, assim, instaurar um sistema para supervisionar e dirigir a equipe. Nesse momento já vemos T’Challa (Chadwick Boseman) inserido na história. Este é o guerreiro Pantera Negra, mas que também é príncipe do reino de Wakanda e está querendo uma posição definitiva dos Vingadores sobre seus atos.

Alguns heróis já estão abalados pelos acontecimentos e acham que é hora de prestar contas e tentar reconquistar a confiança da população mundial, nesse grupo está Tony Stark (Robert Downey Jr.). Outro grupo, liderado por Steve, quer que os Vingadores permaneçam livres para defender a humanidade sem a interferência do governo, pois acreditam que podem se tornar um tipo de exercito nas mãos dos políticos e não desejam isso.

É uma situação muito complicada, de um lado a liberdade e de outro a vida em sociedade. O  filósofo romano Cícero já dizia “todos somos escravos das leis para que possamos ser livres”. O que traz uma grande mudança nessa trama é a presença do Soldado Invernal (Sebastian Stan), que era Bucky, o amigo de infância de Steve que se tornou uma arma da Hidra.

Sabemos que quando se trata do Bucky, o Steve perde totalmente a noção. Temos, então, um Capitão América menos idealista e mais protetor e passional, o foco de sua luta muda. Ao mesmo tempo que Tony Stark parece se prender as amarras da burocracia politica, mas também apresenta uma visão muito mais aberta a realidade que os Vingadores estão enfrentando.

Não dá pra escolher um lado, pois ambos estão certos se você observar com calma. Capitão América 3 – Guerra Civil se tornou assim, um dos meus filmes favoritos da Marvel. Pode não ser uma boa adaptação, mas é uma história com grande potencial de reflexão. Dá pra relacionar com as situações politicas e econômicas que vemos nos jornais diariamente e perceber que a ficção não é algo tão distante. Embalado com muita ação (muita mesmo), momentos dramáticos e uma premissa madura, este é um filme que você deve assistir.

PS: Tom Holland cumpre seu papel como Peter Parker/Homem-Aranha. Ele é inserido na trama de uma maneira tão leve que somos conquistados por seu carisma. Acho que este mais jovem Homem-Aranha será o que unirá os fãs de verdade. Sendo assim, eu amo o Homem-Aranha e vou protegê-lo.