A Florigrafia no Instagram

Já faz algum tempo que acompanho o trabalho da paraense Natália Viana, desde a marca de roupas Quiquiriqui, que era um sonho, cheia de delicadeza. A novidade que venho apresentar pra vocês é um projeto no Instagram que ela tem com a amiga ilustradora Rafaela Melo, chamado “A Florigrafia“.

Um misto de fotografia, ilustração, cores e flores. É o casamento perfeito!

Vejam só!1 3 7 aflor2_zps92159d17

Não deixem de seguir! @aflorigrafia

Perfis da Barbie para seguir no Instagram

A boneca mais famosa do mundo está sempre por dentro das novidades, não é mesmo? Pois a Barbie tem vários perfis no Instagram, mas eu separei dois deles, bem distintos, que se destacam pela qualidade.

Neste perfil a Barbie é tipo uma blogueira de moda. Ela posta o look do dia, o detalhe de uma peça, faz selfie, compras e se diverte com as amigas. Uma it girl completa! É um perfil oficial da Mattel, empresa dona da boneca. A Barbie Style conseguiu um destaque tão grande que faz publicidade de outras marcas e produtos, tal qual uma blogueira de verdade, além de estar presente em cerimônias e eventos.

As crianças, público original da Barbie, crescem e pra não perder esses fãs o perfil surgiu. Ela incorporou a personagem e dá show.

@playbrinks

Esse perfil aqui já é beeeem diferente. Eric Bauer criou uma revista fictícia chamada Playbrinks que tem uma conta no Instagram. Neste perfil ele mostra ensaios produzidos com bonecas Barbie fazendo referências à ensaios da revista masculina Playboy. 

Assim como no perfil anterior, neste aqui também rola muita produção e tratamento de imagens. A qualidade é incrível. Pra quem curte fotografia, como eu, é algo genial!

E ai, curtiram?

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

Cores do Brasil em exposição na Oca

Em fevereiro eu me inscrevi em uma oficina de fotografia ministrada pelo fotógrafo Tuca Vieira. Eu já conhecia o trabalho do Tuca e tinha muito interesse em aprender com ele. O que eu não sabia era que a oficina fazia parte de um projeto maior.

Cores do Brasil - Foto Cecília Lucchesi - Belem (2)

Cores do Brasil - Foto Cecília Lucchesi - Belem (1)

Fotos: Cecília Lucchesi

Uma união multidisciplinar entre moda e responsabilidade social – esse é o projeto Cores do Brasil, que convidou o Tuca para ministrar oficinas de fotografia aos jovens de Belém, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo. As cenas do nosso cotidiano resultaram em um acervo de mais de 12 mil imagens, e alguns desses cliques viraram estampas digitais pelas mãos dos estilistas Bruno Basso e Christopher Brooke, da dupla Basso & Brooke.

Agora tudo isso poderá ser visto em uma exposição que começa amanhã (03 de julho), na Oca, em São Paulo! 😀 

A exposição Cores do Brasil tem direção dos estilistas Bruno Basso, que é brasileiro, e Christopher Brooke, inglês. Idealizada por Didi Rezende, do Estúdio Oitavo Andar, e Kalina Bourgeois, da Urban Jungle Art. A cenografia é do atelier Marko Brajovic, curadoria é de André Stolarski e a curadoria fotográfica é de Tuca Vieira.

Foto: Blog “Pronto, usei”

✚ Eu não poderei estar em São Paulo para conferir, mas agradeço muito à Didi, Kalina e Tuca pela oportunidade de participar do projeto! <3

✚ Acompanhe as ações pela fanpage Cores do Brasil.

SERVIÇO
Cores do Brasil
Local:  Oca – Parque Ibirapuera – Avenida Pedro Álvares Cabral, Portão 3 – Vila Mariana, São Paulo/SP
Visitação: 03 de julho à 02 de agosto de 2014.
Horário de funcionamento: terça à domingo, 09h às 21h.
Entrada gratuita.
Informações: (11) 3105-6118

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

O Gato leu: Navegante da Luz

Navegante da luz: Miguel Chikaoka e o navegar de uma de uma produção experimental – Marisa Mokarzel
Editora: Kamara Kó Fotografias
Ano: 2014
Páginas: 120

Navegante da luz: Miguel Chikaoka e o navegar de uma de uma produção experimental, da professora e crítica de arte Marisa Mokarzel, é essencial para entendermos um pouco mais sobre a história da fotografia paraense.

nevegante_da_luz_foto_debb_cabral

No livro Navegante da Luz, Marisa foca na trajetória do Miguel, tanto artística quanto pessoal e cultural. Ela também faz um panorama da Belém que o recebeu, na década de 80, época mais do que propícia, de grande fervor cultural.

A ação educacional dele também tem grande destaque. Chikaoka utiliza a fotografia como meio de interação e compreensão social.

“Processo” é a palavra-chave. Mais do que a obra pronta, acabada, a inserção de ideias, quem promove a troca de afetos, conhecimento e de percepção. Esta atitude plural implica adotar a interseção de culturas. (Pág. 19)

A autora já tinha latente a ideia de escrever sobre o trabalho do fotógrafo. É comum, em certas partes do livro sentirmos o encantamento da Marisa ao falar sobre o Miguel, a profunda admiração que ela sente não deixa de atravessar o livro e vir parar na gente.

Ela o relaciona com Max Martins e com a cultura oriental, dos samurais. Metáforas permeiam a leitura.

A ficção ocorre na fronteira de dois olhares: daquele que vê a fotografia e daquele que fez a fotografia. (Pág. 71)

Miguel tem um modo de agir muito próprio. Marisa conta sobre a fundação da Associação Fotoativa e a necessidade de um lugar para produzir e pensar a fotografia. Depois de toda a trajetória percorrida, ela aponta a necessidade que ações como a de Chikaoka tenham continuação. A mobilização ocorrida na década de 80 não pode nunca se dissolver, para que politicas de incentivo à cultura, em especial à fotografia, aconteçam, como sempre lutou Miguel.

O que preocupa, no entanto, é que entre a efervescência da década de 1980 até 2013, já se passaram mais de 30 anos, e o fluxo das artes continua se processando em movimentos sinuosos, formados por altos e baixos, pela não existência de mercado interno, pela falta de politicas públicas em diferentes níveis. As sustentações talvez procedam das universidades e dos atos coletivos, que ainda se mantêm, porém mais esparsos. A cena se constitui em meio ao malabarismo, ao poético voo dos trapezistas, sempre por um triz, no limiar do perigo. (Pág. 44)

✚ O livro Navegante da Luz está disponível na versão virtual.

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob

O Gato foi: Exposição fotografica “Três Cores e uma Paixão”

Eu não fui à  XVIII Feira Pan-Amazônica do Livro só pra comprar livros, fui também pra conferir a minha foto na exposição Três Cores e uma Paixão!

Exposição fotográfica Três cores e uma paixão - Debb Cabral

Agora que a Feira encerrou,  a exposição está em exibição na Estação das Docas, até 13 de julho, com entrada franca!

Na mostra, imagens que representam a brasilidade. Nela estão trabalhos de Debb Cabral, Dula Lima, Elza Lima, Fatinha Silva, Geraldo Ramos, Janduari Simões, Miguel Chikaoka, Paulo Santos, Rafael Araújo, Tchello d’Barros, Valério Silveira, Wagner Okasaki e Wagner Santana. A curadoria é de Emanuel Franco.

Foto: Márcio Ferreira/Agência Pará

Decorações e manifestações que remetem a Copa do Mundo dão o tom da exposição que objetiva mostrar uma Copa que acontece fora dos estádios.

Visite! 🙂
Exposição fotográfica “Três cores e uma paixão”
Visitação: até 13 de julho de  2014
Horário: das 10 às 22h
Local: Armazém 2 da Estação das Docas (Av. Boulevard Castilhos França, s/nº – Campina).
Entrada gratuita

Siga nas redes sociais!

Facebook  ✚ Instagram ✚ Twitter ✚ Google +  ✚ Pinterest ✚ Youtube ✚ Skoob